Quem toma pílula para de ovular?

Home / Medicamentos / Quem toma pílula para de ovular?

A pílula anticoncepcional revolucionou os hábitos sexuais nos anos 60 ao provar sua alta eficácia contra a gravidez indesejada. De lá para cá, mais de 50 anos se passaram e o método está cada vez mais comum entre as mulheres, sendo famoso atualmente por também ajudar a combater cólicas e até tranquilizar o monstro da TPM (Tensão Pré-Menstrual).

“Além de reduzir as chances de gravidez com a progesterona, ela tem os benefícios do controle do ciclo, melhora na oleosidade da pele, no cabelo, devido ao estrogênio. Para as disciplinadas que encaixam o remédio na rotina e não esquecem, é uma boa escolha”, afirma Mariane Nunes, ginecologista da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (Universidade de São Paulo).

Apesar de ser um método usado mensalmente por diversas mulheres, existem muitas dúvidas sobre como o processo da ingestão de hormônios (no caso da pílula, o estrogênio e a progesterona) ocorre no organismo.

Será que o uso contínuo pode ser prejudicial? Tomar pílula afeta a produção hormonal natural? Quem toma o remédio ‘guarda’ os óvulos e atrasa a menopausa? Porque não podemos pular um dia sequer?

Não entre em pânico se não souber as respostas. Para conhecer melhor o processo que se dá no corpo de quem usa o medicamento, as ginecologistas Mariane Nunes, além de Flávia Fairbanks, do Hospital das Clínicas, Márcia Araújo, da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) e Heloísa Brudniewski, responderam as questões do UOL.

Mitos e verdades sobre a pílula anticoncepcional

Quem toma pílula para de ovular?

VERDADE. Enquanto a mulher toma o anticoncepcional os ovários são bloqueados e ficam “adormecidos” para a função da ovulação. “Eles deixam de eclodir óvulos, mas seguem ativos para outras funções, como a produção de hormônios que não estão na composição da pílula”, diz Márcia

Tomar pílula inibe a produção hormonal?

MITO. A pílula bloqueia os ovários e fornece hormônios sintéticos. Nesse período, eles deixam de produzir estrógeno e progesterona, ou até produzem, mas em quantidades indetectáveis, segundo Mariane. “Porém, existem outros órgãos que seguem fabricando os hormônios como, por exemplo, o tecido adiposo e as glândulas suprarrenais, que produzem estrogênio”, afirma Flávia.

No intervalo entre pílulas, a mulher menstrua?

PARCIALMENTE VERDADE. Naturalmente ou com pílula os sangramentos se dão quando há queda do estrogênio e o endométrio descama. A diferença é que a pílula torna o processo artificial. “O que ocorre é um ‘sangramento de privação’. Apesar de não ter passado por todo o ciclo da fecundação natural, o estrogênio da pílula estimula a proliferação do endométrio. Com a queda do hormônio ao parar de tomar, ele descama e causa o sangramento”, explica Mariane. Por não ser o processo natural da preparação do útero, o sangramento tem menor intensidade.

Tomar pílula a longo prazo é prejudicial?

MITO. O efeito da pílula é reversível e não afeta a fertilidade. “Os ovários ficam suavemente bloqueados, por isso, esquecer de tomar a pílula, mesmo que por um dia, pode desencadear seu funcionamento”, afirma Flávia. A volta da resposta dos ovários depende do organismo, podendo ser imediata ou levar até três meses, de acordo com Heloísa.

Quem toma pílula também tem TPM?

VERDADE. A TPM é a resposta do corpo ao estrogênio natural. A pílula tem apenas hormônios sintéticos. Porém, quem toma o comprimido pode ter leve oscilação hormonal devido ao estrogênio produzido naturalmente. “A pílula costuma auxiliar no controle dos sintomas da TPM, por manter a quantidade de estrogênio nivelada. Com menor instabilidade, os sintomas diminuem”, diz Flávia.

Quem toma pílula “guarda” óvulos e retarda a menopausa?

MITO. O organismo da mulher nasce com cerca de 6 milhões de folículos nos ovários, segundo Flávia. No ciclo natural, os folículos amadurecem por estímulo hormonal e se tornam óvulos. Quando existe o uso da pílula, os folículos não chegam a ser estimulados. “Mas desde bebês, mesmo sem a ovulação, gastamos cerca de mil folículos por mês, em um processo de envelhecimento natural. Nada fica guardado”, explica a ginecologista. “Eles se degeneram, vão sendo dissolvidos e somem no organismo”, completa Mariane.

A mulher deixa de ovular assim que começa a tomar pílula?

MITO. O bloqueio não é instantâneo, o ovário precisa de cerca de um mês para “adormecer”. “Cada corpo responde de uma maneira, mas é importante dar ao menos trinta dias para o corpo acostumar com a pílula. Neste início é importante contar com outra proteção para evitar a gravidez”, diz Márcia.

Sangramento no meio da cartela significa que a pílula perdeu o efeito?

MITO. Se há uma diminuição do estrogênio no organismo, o endométrio pode descamar e sangrar antes do fim da cartela de comprimidos. A oscilação do hormônio pode ser causada por pílulas com menor dose, uso de bebida alcoólica, antibióticos, anestesias ou diarreia. “Esse ‘escape’ não altera a eficácia da pílula para evitar a gravidez. Até porque, o hormônio responsável por evitar a ovulação é a progesterona, e o sangramento é causado pela ausência do estrogênio, que é responsável pelas melhoras na pele, cabelo, TPM”, afirma Mariane.

Se eu colar a pílula adesiva no lugar errado ela perde o efeito?

VERDADE. O adesivo anticoncepcional precisa ser colado em locais que tenham boa absorção, não sofram atrito para não descolar e com baixo nível de transpiração. “Não há um lugar específico, tem que ser confortável e é bom trocar mensalmente, para evitar irritação da pele”, diz Heloísa. Partes do corpo com pelos prejudicam a absorção, e as mamas não são indicadas. “A pele precisa estar seca e limpa. O uso de hidratante antes da aplicação prejudica a absorção”, completa a ginecologista.

Fonte: UOL

Related Posts

Deixe seu comentário